Semana passada peguei um vôo de São Paulo/SP para Porto Velho/RO sozinha com minhas filhas de 2 e 4 anos, então quero dividir com vocês alguns itens preciosos para levar na hora de viajar sozinha com os pequenos:

  • Carrinho guarda chuva;
  • Sling (para colocar o filho menor enquanto empurra o carrinho com o maior, quando ele cansar de andar);
  • Mala com rodinhas, do tamanho permitido para levar dentro do avião (55 cm de altura x 35 cm de largura x 25 cm de espessura, incluindo bolsos, rodas e alças, com peso máximo de 10kg);
  • Mochila para levar os itens essenciais como fralda, lenços descartáveis e documentos pessoais;
  • Colocar tênis de velcro nas crianças, porque cadarço desamarra toda hora;
  • Tablet ou celular com vídeos já baixados. O aplicativo Netflix agora tem a possibilidade de baixar os desenhos nele e assistir sem necessitar de internet. Aproveite para baixar antes de sair de casa, quando tiver wi-fi. 
  • Água em garrafa descartável, mais leve e que você pode jogar fora quando não precisar mais. 
  • Remédio para enjôo e para febre, caso precise. 
  • Frutinhas já lavadas num pote descartável. Uvas sem sementes são muito boas para essa ocasião. 
A amamentação é uma aliada, já que nas subidas e descidas do avião, a succção alivia a pressão nos ouvidos. Uma chupeta também ajuda, pro bebê que usa. 

Levei brinquedos, mas elas não brincaram. Levei massinha, alguns cortadores, livrinho para pintar, giz de cera e personagens pequenos. Como disse, elas nem ligaram pra eles. 

Alice preferiu brincar com uma garrafa de água vazia e gostou muito de olhar pela janela os outros aviões e as nuvens no céu. Rebeca se divertiu com joguinhos no tabletElas dormiram muito também. 

Na mochila, levar somente o essencial caso o vôo seja rápido. O nosso teve a duração de 5h ao todo, então levei apenas 1 muda de roupa para cada uma, 1 casaco para cada, 3 fraldas para a Alice, lenços umedecidos, remédios (para enjôo e febre), 1 toalha fralda e 1 paninho de boca, além de documentos pessoais, carteira, celular, tablet e água. 


O vôo foi muito tranquilo, comprei comida no avião, elas comeram uvinha e dormiram bastante. O horário do vôo também ajudou muito: saímos 18:30 de SP e chegamos em RO às 22h. 


Antes do embarque, elas dormiram. Pedi ajuda aos funcionários da Gol e eles foram muito solícitos em me ajudar a entrar no avião. 

A viagem foi mais tranquila do que eu imaginei!!! Graças a Deus!!

Beijos a todos!!

Hoje quero compartilhar essa explicação do porque a chupeta causa desmame.
Eu quis dar chupeta pras minhas duas filhas, porque criar sem chupeta é mtoooooo difícil. O bebê passa hooooras no peito: ora mamando, ora "chupetando" o peito, e a gente não consegue fazer mais nada.
Sorte a nossa foi que elas não pegaram chupeta.
Resultado: Amamento há 4 anos 
A chupeta pode atrapalhar a amamentação por inúmeros fatores: pode causar confusão de bicos, pode acarretar perda de peso no bebê (porque ele gasta energia sugando e não está mamando) e porque é a sucção que garante a produção de leite materno. Se o bebê não suga o peito da mãe, ela não produz leite suficiente. 

Lembre-se sempre da máxima da amamentação: Quanto mais o bebê mama, mais leite a mãe produz. Quanto menos mama, menos leite ela produz.

Você sabia que faz parte da livre demanda o bebê mamar quanto quiser no peito, sem que ele faça uso da chupeta? Se usar chupeta, não há livre demanda. 

Mas atenção! Não se trata de um julgamento às mães que oferecem chupetas aos filhos. A maternidade é cansativa mesmo, cada uma sabe onde seu calo aperta. 
É somente uma informação baseada em fatos reais. Só isso.
Imagens do Face @blogmulhermiranda



Eu tenho um time maravilhoso de mulheres que fazem parte da minha rede de apoio. Minha mãe, irmã, sogra, secretárias do lar (Cris e Ione)...

Sem elas eu nada seria!!

Além disso, tenho amigas maravilhosas que me apoiam sempre, como a Izabela, Helena, Talita, Patrícia e Liane...

Em 2018, vou deixar parte dessas pessoas maravilhosas em Rondônia, pois vamos nos mudar para São Paulo!! 

Meu marido foi chamado num concurso que passou lá, quando eu ainda estava grávida da Alice.

Deus foi bom conosco e nos deu tempo para a Alice nascer e completar 2 anos em Rondônia, já que aqui já contamos com o primordial cuidado da minha secretária Elione (carinhosamente apelidada de tia Ione) e dos avós paternos e maternos das meninas.

Só agora, o papai Rafael foi nomeado para o concurso em São Paulo, o que facilitou as coisas, já que as meninas estão maiores (tem 2 e 4 anos).

Estou muito feliz, mas ao mesmo tempo o coração está apertado, pela mudança e saudade que sentiremos das pessoas que ficarão em Porto Velho...

Mas sinto que Deus tem planos maiores pra gente lá. Então sei que estamos no caminho certo.

Minha sogra vai junto comigo, pra me ajudar, inicialmente.

Sou servidora pública federal, então consigo transferir inicialmente para Minas Gerais, depois permuto para SP. 

Vamos ficar mais perto da minha irmã Letícia, que mora no sul. Rebeca não vê a hora de morarmos perto da dinda! 

Além do sonho do papai estar sendo realizado: tomar posse no concurso público que tanto almejou. 

Só temos a agradecer!

Vou contando tudo por aqui.

Torçam por nós! ! Beijão!


Eu e as meninas assistimos ao filme: Moana - Um mar de aventuras e nos apaixonamos!!




É super musical, o que prende bem a atenção das crianças, e a trilha sonora é maravilhosa. As músicas são lindas e ficam mesmo na cabeça. Estou cantarolando a música "Saber quem sou" até agora rs. Meu marido adorou a música "De nada" e até colocou no carro pras crianças ouvirem nos passeios =)

Segundo a crítica do site Omelete, o filme é:

"Uma animação de riqueza técnica, em que é possível sentir a água do mar e os cabelos ao vento, ficando no limite entre o realismo e a fantasia oriundo do avanço tecnológico. Porém, a grande contribuição de Clements e Musker não é estética, mas sentimental. Como nos trabalhos anteriores da dupla, Moana conta com personagens relacionáveis, em busca do seu lugar no mundo, da princesa polinésia que desafia os pais para salvar seu povo ao semideus que busca redenção (apesar da sua cômica arrogância)".

Super recomendo!! 

A crítica da Folha é a que melhor define o filme, na minha opinião:

"Não se trata apenas da jornada de uma corajosa heroína para defender sua terra e sua família. A mensagem é mais ousada, mais ambiciosa e alinhada às demandas atuais da sociedade. 

A personagem toma as rédeas da própria vida mesmo se alguém tenta impedi-la de seguir em frente. Trata-se, portanto, de um filme sobre o empoderamento feminino, sobre a liberdade de escolhas". 

Clique aqui para ler a crítica completa e entender do que se trata o filme. 


Gostei demais dele. É o tipo de filme que quero mostrar novamente pras meninas quando elas tiverem na pré-adolescência, por exemplo, já que ele tem muito a ensinar...

Está sendo realizada uma campanha educativa sobre violência obstétrica no Estado do Amazonas, pela Secretaria Estadual de Saúde (Susam), sob a coordenação da Rede Cegonha.



Segundo a coordenadora da Rede Cegonha da Susam, Luena Xerez, muitas das vezes, pela falta de informação, pacientes e profissionais acabam não percebendo quando são vítimas e autores de violência obstétrica, respectivamente.

“Violência obstétrica é todo ato de violência cometido durante a gestação, no atendimento de pré-natal ou na hora do parto. Uma ofensa com palavras, um procedimento sem consentimento da paciente, um olhar de reprovação, estão entre os atos que configuram violência obstétrica e muitas pessoas nem têm consciência disso”, explica Luena.

Achei super interessante o material que está sendo distribuído, e venho compartilhar com vocês:



O dia das bruxas, ou Halloween, é uma celebração que ocorre em 31 de outubro, véspera da festa cristã ocidental do Dia de todos os Santos. 

Entre as atividades de Halloween mais comuns, estão festas a fantasia, praticar "doces ou travessuras", decorar a casa, fazer lanternas de abóbora, acender fogueiras, fazer jogos de adivinhação, ir em atrações "assombradas", contar histórias assustadoras e assistir filmes de terror. (Fonte: Wikipédia)
Eu gosto das festas a fantasia porque fiz inglês por alguns anos durante a minha adolescência, e adorava as fantasias e o famoso "doces ou travessuras" que a minha escola de inglês (CNA) promovia nessa época do ano, já que essa festa é muito famosa nos Estados Unidos. 


Então, hoje reuni algumas idéias para você fazer uma festa de Halloween DIY.

Clique em continuar lendo para conferir todas as fotos! ↓


Saiu no Profeta Diário que a Escola de Magia Hogwarts abriu uma exceção às suas regras e concedeu uma vaga à uma aluna de apenas 2 anos, chamada Alice, devido às suas habilidades mágicas de cativar corações com sua simpatia. 

Alice está fazendo 2 anos amanhã (18/10) e fizemos um super ensaio fotográfico com a querida Juciele Marques, com o tema do aniversário dela, que amamos tanto: Harry Potter!

Fiquem ligados, pois virão mais emoções por aí! 



Quando a Rebeca nasceu, eu não sabia nada sobre amamentação.

Eu só havia lido e me informado sobre o parto normal, mas não me preparei para amamentar.

Então a Rebeca já saiu da maternidade mamando leite artificial.

Porém, ela passou 7 dias com o intestino preso e comecei a me preocupar. Levei-a em 3 pediatras diferentes e eles foram uníssonos em dizer: apenas o leite materno seria capaz de regular o intestino dela, por ser o mais adequado ao recém nascido.


Sou fã da saga Harry Potter desde a minha adolescência, li todos os livros e assisti os filmes, então sempre sonhei em fazer uma festa com esse tema pras minhas filhas (já que estou um pouco crescida para fazer uma pra mim rs). 

A Rebeca sempre escolhe os temas de suas festinhas, então dessa vez a Alice é quem vai realizar o sonho dessa mãe aqui, já que ela não tem a mínima noção do que seja uma festa de aniversário! Ainda tentei perguntar qual tema de aniversário ela queria, mas é óbvio que ela não entendeu nada né?! =D

ENTÃO O TEMA DO SEGUNDO ANIVERSÁRIO DA ALICE SERÁ: HARRY POTTER! 

Rebeca (4 anos)

Quando estamos grávidas, não temos paciência pra esperar o bebê nascer no tempo dele. Ele tem que nascer na hora que queremos, afinal, não temos paciência pra esperar 40 semanas...

Quando o bebê nasce, não temos paciência pra esperar que ele mame... Se passa tempo demais mamando no peito, logo procuramos algo pra substituir, já que temos que continuar saindo e cumprindo outros compromissos...

Se ele só quer dormir com a gente, não sabe dormir sozinho aos 6 meses, 1 ano, tratamos logo de procurar um técnica que os ensine a dormir sozinho "a noite toda". Não temos tempo para esperar ele criar maturidade para dormir só, tem que ser logo. 

Se ele usa fralda, não temos paciência para esperar ele desfraldar sozinho. "Tá grande demais pra usar fralda", diz o palpiteiro, sendo que o bebê mal completou 2 anos.

Se ele ainda não fala, ficamos logo apreensivos pq o filho do vizinho fala desde 1 ano de idade....

Me pergunto onde foi parar a paciência da geração dos nossos avós... 

Será que não tivemos paciência para aprender a ter paciência?

Que tal tentar voltar atrás e começar a aprender?

Nossos filhos merecem esse esforço.

Logo a gente aprende que eles crescem rápido demais para perdermos tempo com essas preocupações sem sentido.


O que é âmbar?
"O âmbar é uma resina vegetal que se tornou fóssil há aproximadamente 50 milhões de anos e é encontrada principalmente na região dos Bálticos – inclusive as propriedades do colar só valem se as pedras forem dessa área. 

No âmbar, se encontra o ácido succínico – estudos afirmam que esse composto químico fortalece o sistema imunológico, estimula o sistema nervoso e melhora a atividade metabólica. 
Por isso, o âmbar atuaria como analgésico e anti-inflamatório natural". (Site Crescer)



A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os 6 meses de idade do bebê e que ele seja amamentado, associado à alimentação complementar saudável, até os 2 anos de idade ou mais.

Porém, no Brasil, apenas 41% das mães amamentam exclusivamente até os 6 meses. 

E sabe porque esse indíce é tão baixo?

Porque amamentar não é fácil...


O aniversário da Rebeca desse ano, foi o melhor de todos, na minha opinião. 
Além de eu ter aprendido melhor a organizar festas (rs),
ela se divertiu muito, teve plena consciência de que a festa era dela, foi super atenciosa com os convidados, aguardou um por um na porta do evento e foi abrindo os presentes assim que recebeu... pense numa ansiedade!! 


O tema foi: Patrulha Canina, 
Um desenho que a Rebeca adora, sobre seis filhotes heróicos, liderados por um menino de 10 anos de idade chamado Ryder. Com uma mistura única de habilidades para resolver problemas, veículos legais e muito bom humor canino, a PAW Patrol trabalha em conjunto em missões arriscadas de resgate e para proteger a comunidade.


Quando eu engravidei da Rebeca, comprei alguns livros de contos de fadas e guardei, pensando em ler para ela quando ela crescesse. 

Aos 3 anos de idade, ela começou a entender melhor a moral das histórias, e eu passei a me preocupar com o que leio para ela, já que as histórias de alguns contos me deixaram intrigada... Nesse momento, meu instinto materno apitou e eu resolvi fazer uma análise crítica sobre os tais contos de fadas. 

Inicialmente, é importante entender a diferença entre contos de fadas e fábulas:

-> Conto de fadas é uma história que envolve mágica e pode incluir princesas, fadas, duentes e bruxas. Os primeiros contos de fadas foram escritos para adultos, e somente depois de 1.700 é que foram adaptados para as crianças. Tem o objetivo de desenvolver a imaginação e incentivar a leitura na fase de alfabetização. 
-> Fábula é uma história que satiriza o comportamento humano ou apresenta uma moral. Seus personagens são geralmente animais, plantas ou objetos que falam e se comportam como pessoas. Tem o objetivo de ensinar uma lição de moral.

Esse ano fizemos a segunda edição do arraial de mães do Araripe, e foi um sucesso!!


Cada uma das mães ajudou como pode: a Luana reservou o salão de festas do condomínio dela, a Miriela decorou, a Júlia emprestou os enfeites, a Odessa selecionou a playlist de músicas, eu arrumei as brincadeiras, a Alessandra indicou a fotógrafa e o painel de fotos, a Taíse ajudou a retirar a decoração ao final da festa e cada mãe levou um prato e uma bebida para compartilharmos. Ufa! Foi uma correria arrumar tudo, mas foi muito legal!!

A fotógrafa Adriane registrou nosso arraial com lindas fotos:

ORGANIZADORAS:
Luana, Taíse, Alessandra, Odessa, Miriela, Eu e Júlia



Durante a gestação, eu sofro muito com o intestino preso. Além do mau humor, a barriga fica inchada e ninguém merece ficar sem ir ao banheiro por dias seguidos, não é mesmo?!

Foi então que vi no site Boas Mães uma receita natural para acabar com a constipação, e resolvi compartilhar a receita, fácil de ser feita e que, segundo a Elaine, dá certo!

Suco laxativo

Ingredientes:
  • Metade de um mamão bem maduro
  • Duas ameixas sem caroço (deixar num copo com água na noite anterior)
  • Suco de duas laranjas

Modo de fazer:

Bater tudo no liquidificador, com duas pedras de gelo.

Tomar todos os dias, pela manhã (ou comer com colher, dependendo da consistência).

Aumentar o consumo de água também ajuda muito. 

Beijos!!


Em maio, a Gabi do Maternar e Brincar realizou a quinta edição do Encontro de Brincadeiras Sensoriais para Bebês, no Quintal, e eu levei as meninas para prestigiarem mais esse evento, que eu tinha certeza que seria maravilhoso, tanto pelo local, quanto pela organizadora. 


Que tal preparar esses cookies super fáceis junto com a garotada? Rebeca amou preparar comigo:

Ingredientes:
2 bananas grandes
1 xícara de aveia em flocos


Modo de preparo:
  • Misture os dois ingredientes até formar uma massa – como bananas podem ter diferentes tamanhos, talvez você tenha que acrescentar mais uma, ou um pouco mais de aveia. A ideia é não ficar nem mole demais, nem seca demais.

  • Assar no forno a 180º graus por 15 minutos, em uma assadeira untada. Experimente untar com óleo de coco. Não se esqueça dessa parte, ou você vai esfregar sua forma pra sempre!

Você também pode adicionar o que soa gostoso para você! Ou nada. Mas aqui vão algumas sugestões:

– gotas ou lascas de chocolate;
– pedacinhos de nozes, amêndoas, amendoim;
– canela em pó;
– frutas secas

Receita e foto originalmente publicadas em: The Burlap Bag

Fonte: Lar Natural

A amamentação pode ser um contraceptivo natural caso estejam presentes as seguintes condições, concomitantemente (todas elas devem ser cumpridas):
· a mãe esteja amamentando exclusivamente seu bebê com leite materno (sem uso de leite artificial ou chupeta, pois estes podem alterar o poder de sucção do bebê e assim alterar a cessação da ovulação),
·   a amamentação seja feita em livre demanda (quando o bebê mama com frequência o leite materno, dia e noite, sem horários pré determinados pela mãe)
· a mulher não tenha tido nenhuma menstruação e
·  o bebê tenha até 6 meses de idade.

Elis Freitas Fotografia
Para aliviar a dor das contrações sentidas durante o trabalho de parto, existem dois tipos de recursos que a gestante pode utilizar:
  1. Métodos naturais de alívio da dor:
Inclui banho de chuveiro ou imersão, massagens, liberdade de movimentação, uso de bola de pilates, compressas quentes, dentre outras. A vantagem é que não oferecem riscos e nem provocam efeitos colaterais.

  1. Métodos medicamentosos de alívio da dor:
Dentre eles estão as analgesias e as anestesias, que são diferentes:

-> A parturiente que recebe uma analgesia consegue ficar em pé, andar, acocorar-se e sentir as contrações, ainda que com menos dor.
-> Ao contrário, uma mulher anestesiada, embora possa se manter consciente, perde todas essas possibilidades, ficando inerte da cintura para baixo.



Muitas mulheres temem optar pelo parto normal em razão da dor das contrações.

Esse era um grande receio na minha primeira gestação, já que a dor do parto é desconhecida pela maioria das mulheres. É uma dor incomparável. Só a conhecemos quando passamos por ela.

Muitos falam ser a dor da morte, e eu fui para o meu primeiro parto pensando nisso. Fui preparada para uma guerra! Mas ao passar por ela, percebi que aquela dor não era tão ruim quanto me falaram. 

Parir dói muito, mas, para mim, não foi uma dor de morte! Foi uma dor de vida! Dilaceradora, mas necessária para que eu trouxesse minhas filhas à vida. 

Nesse post, vou tentar descrever como é a dor do parto.




A Rebeca desfraldou totalmente com 3 anos. Mas não foi um processo rápido, nem fácil. 

Tivemos muita ajuda da escola e da minha família nesse processo.

Tudo começou com a minha mãe. Quando eu voltei a trabalhar, foi ela quem cuidou da Rebeca, porque eu não tinha confiança em mais ninguém para realizar essa tarefa tão preciosa. Então a Rebeca ficava diariamente na minha mãe por 8 horas seguidas, enquanto eu estava no trabalho.