A japonesa Marie Kondo, autora do best seller “A Mágica da Arrumação”, com muita sabedoria, ensina que: "Colocar a casa em ordem é a magia que cria uma vida vibrante e feliz".

Uma casa bagunçada dificulta a vivência e a utilização dos itens que você tem. Nesse post, reuni dicas do livro (baixe em pdf aqui) para manter uma casa (e consequentemente uma vida) mais organizada:

1) Prefira a solidão e o silêncio ao organizar sua casa. 

Arrumar a casa é, em certa medida, um exercício de revisão interior, "é uma forma de autodiálogo”. Televisão ligada, música alta e conversa fiada abalam a concentração necessária para a tarefa. Outras pessoas também podem atrapalhar, então é melhor organizar a casa quando estiver sozinha. 

2) Comece organizando uma categoria de cada vez, e não um lugar por vez. 

Mari Kondo aconselha você a classificar suas coisas em categorias em primeiro lugar, e apenas depois disso decidir o que deseja manter e onde deve guardar. Um erro cometido por muitos é fazer a arrumação por cômodos, encontrando as mesmas coisas sem ao menos perceber sua verdadeira quantidade. 


“A raiz do problema reside no fato de que as pessoas guardam a mesma coisa em mais de um lugar. Para evitar essa situação, minha recomendação é organizar tudo por categoria. Por exemplo, em vez de decidir que hoje você vai arrumar determinado cômodo, estabeleça metas como “roupas hoje, livros amanhã”. Uma das principais causas da desorganização é ter coisas demais, e o motivo desse excesso é justamente ignorar a quantidade de itens repetidos que possuímos. Se você guarda objetos do mesmo tipo em lugares diferentes e arruma um cômodo de cada vez, nunca terá uma dimensão real da quantidade de itens iguais que possui. Para evitar isso, organize por categoria e não por localização.”. Mari Kondo – Livro “A Mágica da Arrumação” 


O documentário "O renascimento do Parto", tão aclamado pelo movimento de humanização do parto terá continuação e a previsão de estreia nos cinemas é para o dia 10 de maio deste ano. 


No primeiro trailer divulgado em 2015, o médico obstetra alemão Frank Lowen afirma que existe um receio por parte dos médicos em relação ao parto normal com bebê sentado. “Há realmente um grande medo por parte dos médicos da ‘cabeça derradeira’, ou seja, de a cabeça não sair após o ombro”, explica. Entretanto, o especialista pondera: “Parto pélvico é uma patologia ou uma variação da normalidade? Se um bebê pélvico pode nascer como um cefálico, se pode nascer espontaneamente sem ajuda, isso nos mostra que é normalidade e que depende da experiência da equipe, depende da técnica, depende da posição da mãe”. Lowen ressalta ainda que, há centenas de anos, é de conhecimento da ciência que o parto normal com bebê sentado é possível.



A continuação do documentário aborda também a violência obstétrica, o SUS que dá certo e os modelos de parto e nascimento na Inglaterra e Holanda. 

Traz também a discussão sobre o empoderamento feminino que, de acordo com o psicólogo e terapeuta familiar Alexandre Coimbra Amaral “não é uma variável externa, é a mulher que descobre o poder em si”. 

Ana Paula Caldas (Pediatra Neonatologista) deixa claro que o movimento pela humanização do parto no Brasil não quer obrigar nenhuma mulher a parir, mas enfrentar o problema “de quem quer parir e não consegue”. 

Fonte: Site Uai

Há uma semana, foi divulgado o trailer oficial do "O renascimento do Parto 2", que mostra a triste realidade da violência obstétrica no Brasil (chega a me dar calafrios ao ver tais cenas e saber que tantas mulheres passam por tamanho sofrimento em pleno ano de 2018):




Estou ansiosa para assistir!

O parto humanizado é um parto o mais natural possível, sem condutas e intervenções desnecessárias, onde cada intervenção só será utilizada quando estritamente necessária; onde o tempo, os interesses e a liberdade da mãe e do bebê são respeitados, tudo baseado em evidências científicas e nas recomendações da Organização Mundial da Saúde. (Ana Cris Duarte, Obstetriz).

Elis Freitas Fotografias


Hoje eu tive a honra de participar, juntamente com a Jéssica e a doula Tainá, do programa Toda Manhã, da querida apresentadora Emilli Sousa, falando sobre um assunto que amo e que deu origem a esse blog: o parto humanizado. 

Emilli, Jéssica, eu e Tainá

Adorei a abordagem leve e descontraída do programa e a apresentadora é a simpatia em pessoa, nos deixou super à vontade para falar sobre parto e nos fez um convite para voltarmos ao programa e falar mais sobre esse assunto tão amplo. 

Vou deixar o vídeo do programa para vocês conferirem:


Obrigada pelo convite Emilli!! 


Quando o tema é planejar um aniversário infantil, pensamos logo nos gastos que teremos, ainda mais em tempos de crise. 

Desse modo, ao invés de grandes festas realizadas em buffets infantis, muitas famílias optam pelas festas no estilo home mademais simples e baratas, mas com o mesmo nível de diversão. 

Eu sempre fiz as festas das minhas filhas em salão de condomínio (no meu ou de parentes) e organizo tudo. A primeira festa foi mais difícil de organizar, mas agora já está bem mais fácil planejar tudo e curtir ao mesmo tempo, e o melhor, gastando muito menos $$$ do que se fosse terceirizar todos os serviços da festa. 

Clique em "continuar lendo" para conferir as principais dicas sobre o que deve ser considerado no momento de organizar uma festa infantil:


2018 chegou e junto com o ano novo veio também uma vontade de me organizar, já que "uma meta sem um plano é apenas um desejo". 


Isso porque, depois de ser mãe, fiquei mais esquecida, a minha falta de organização era notória e estava me atrapalhando muito...

Então resolvi começar a anotar as coisas mais importantes, em listas e lembretes, numa agenda física, e não mais no celular ou folhas soltas que se perdiam na bolsa.